Davi Maia questiona restituição da verba de compras frustradas de respiradores

Davi Maia questiona restituição da verba de compras frustradas de respiradores

Durante sessão plenária da Assembleia Legislativa desta terça-feira (16), o deputado Davi Maia (DEM) questionou a falta de restituição da verba aplicada em duas compras frustradas de 80 respiradores para o estado de Alagoas. Segundo o deputado, o governo do estado chegou a noticiar recebimento da verba aplicada em uma das compras, porém, o valor recebido está abaixo do que foi pago. 

Durante sua fala, o deputado relembrou que Alagoas teria aderido a dois rateios de compra de respiradores, oferecidos pelo Consórcio Nordeste, chefiado pelo governador do estado da Bahia, Rui Costa (PT).  Segundo Davi Maia, o pagamento da primeira tentativa de compra de respiradores, teria sido feito, inclusive, de forma antecipada. 

“A primeira compra de respiradores pelo governo do estado de Alagoas teve pagamento antecipado, tomando como base o parecer da Procuradoria Geral do Estado da Bahia (PGE/BA), sem ao menos consultar a PGE de Alagoas. A compra virou caso de polícia, com fortes indícios de fraude na aquisição dos respiradores. O governo do estado de Alagoas realizou um pagamento antecipado de R$ 4,4 milhões, sem ao menos conhecer a fundo a empresa e não viu o menor sinal dos respiradores”, lembrou o deputado.

O parlamentar questionou, também, a falta do recebimento total da verba que foi aplicada em uma segunda tentativa de aquisição de respiradores, também por meio do Consórcio do Nordeste. Na ocasião, o contrato de compra foi rescindido, sendo feito o anúncio de que seria realizada a devolução dos valores pagos. 

No entanto, segundo o deputado Davi Maia, de R$ 5,2 milhões pagos na compra dos respirados, foi noticiado o recebimento de apenas R$ 4,6 milhões. “Após ter pago R$ 5,2 milhões, o governo publicou que havia recebido o dinheiro de volta. Porém, a imprensa noticiou que foi feita restituição de apenas R$ 4,6 milhões. Cadê os 600 mil da diferença? Ficam em aberto R$ 4,4 milhões da primeira compra e 600 mil da segunda. Foram duas tentativas de aquisição de respiradores por Alagoas e hoje são 80 respiradores a mais que fazem falta”, concluiu o parlamentar.

Em aparte, o deputado Silvio Camelo (PV) atribuiu a falta de zelo na compra dos respiradores à gestão do Consórcio do Nordeste. “Quem fez a compra foi o gestor do consórcio, o governador da Bahia. Se alguém não agiu com devido zelo, não foi o estado de Alagoas. O governo segue trabalhando para que os valores de recursos restantes sejam devolvidos aos cofres públicos”, disse. 

Por fim, Davi Maia afirmou que o governo do estado precisa demonstrar com ações efetivas de que não é cúmplice das ações do Consórcio do Nordeste. “O governo do estado precisa parar de transferir valores ao consórcio e demonstrar que não é cúmplice”, concluiu.

Veja matéria completa aqui

Compartilhe:

Deixe uma resposta