Davi Maia destaca decisão do Governo de utilizar a cloroquina em pacientes com a Covid-19

Davi Maia destaca decisão do Governo de utilizar a cloroquina em pacientes com a Covid-19

Durante a sessão desta quarta-feira, 15, o deputado Davi Maia (DEM) agradeceu ao governador Renan Filho por ter acatado sua indicação, aprovada no último dia 30, que sugeria a utilização de cloroquina e hidroxicloroquina no tratamento de pacientes com Covid-19. “Eu sei que isso não foi por vontade própria dele. Ele foi vencido pelos acontecimentos dos fatos e por cobranças da Sociedade Alagoana de Infectologistas, do Ministério Público Estadual, dos conselhos estaduais de Medicina, além de pessoas nas redes sociais”, disse.

Na ocasião e durante o processo de discussão da matéria, o deputado Davi Maia disse que tem acompanhado a evolução científica no tratamento da Covid-19, com o uso destes medicamentos, citando como exemplos os protocolos feitos na França, Estados Unidos e também no hospital Albert Einstein, em São Paulo. “Com base em tudo que temos de estudo sobre o caso e, especialmente, na recomendação da Anvisa, liberando o tratamento com a cloroquina e hidroxicloroquina, solicito que iniciemos os tramites burocráticos, para que possamos implantar na rede hospitalar de Alagoas”, informou o parlamentar naquele dia.

Hoje, a Secretaria estadual de Saúde publicou no Diário Oficial do Estado a Portaria Nº. 3.264, com a recomendação de uso da cloroquina/hidroxicloroquina em pacientes extremamente graves, que estão em tratamento após contaminação pelo novo coronavírus.

Lacen

Davi Maia informou que enviará ainda hoje um ofício ao secretário de Saúde, Alexandre Ayres, solicitando uma série de informações sobre o Laboratório Central de Alagoas (Lacen). O que motivou o documento, segundo o deputado, são possíveis irregularidades que chegaram ao seu conhecimento e a demissão, no dia de ontem, da diretora Naíra Larissa Fabricio Chagas.

O deputado disse que buscou informações que lhe fizeram questionar a capacidade técnica da ex-diretora para exercer aquele cargo. “Durante sua gestão, aconteceram alguns problemas, entre eles, a perda do programa usado para testar o DNA das células infectadas pelo vírus”, disse.

O deputado também também foi informado que tanto a Ufal quanto a Uncisal, ofereceram ajuda ao Lacen, mas que este recusou os insumos para a realização destes testes. “O que mais me chamou a atenção foi que alguns exames teriam sido enviados para o Lacen do vizinho Estado de Sergipe, o que gerou mais atrasos nos resultados, e, em muitos casos, estes resultados estavam inconclusivos. Será que isso não seria o motivo para o baixo diagnóstico da Codiv-19 aqui no Estado”, questionou.

Por fim, o deputado sugeriu que o Governo do Estado faça uma pareceria com a Ufal, que segundo ele, poderá dobrar a capacidade diária de resultados de exames da Codiv-19. “Solicitamos ainda a contratação de laboratórios particulares, para termos mais eficiência no diagnóstico da doença em Alagoas”, concluiu.

Veja matéria completa aqui

Compartilhe:

Deixe uma resposta