Davi Maia divulga nota da Prefeitura de Quebrangulo respondendo publicação do MP de Contas

Davi Maia divulga nota da Prefeitura de Quebrangulo respondendo publicação do MP de Contas

O deputado Davi Maia (DEM) divulgou nesta sexta-feira, 19, durante sessão da Assembleia Legislativa, uma nota publicada pela Prefeitura de Quebrangulo no dia ontem, rebatendo uma publicação do Ministério Público de Contas, que acusa o município de ter contratado serviços de estrutura e de transporte escolar durante o período de pandemia. “Isto não é verdade. Encaminharemos hoje um ofício ao Ministério Público de Contas para que possa fazer a retratação da mesma forma como foi feita a publicação, visto que o município fica penalizado, especialmente num período pré-eleitoral e num momento em que as ‘fake news’ estão abundantes neste Estado”, disse o deputado.

Na nota, o município informa que os dois processos administrativos citados pelo MP de Contas dizem respeito a contratação de locação de equipamentos e contrato emergencial de transporte escolar para atender as necessidades dos alunos da Escola Estadual Elza Soares. Ambos encontram-se disponíveis no portal da transparência do município e foram utilizados antes da pandemia, em duas situações pontuais.

Veja a nota na íntegra:

O Município de Quebrangulo, vem, através desta nota, esclarecer e tecer algumas considerações acerca das matérias veiculadas pelo Ministério Público de Contas no dia de hoje (18/06/2020).

Inicialmente, cumpre informar que o ofício de lavra do Procurador do Ministério Público de Contas, Rafael Rodrigues de Alcântara, foi recebido por esta municipalidade através de e-mail HOJE (18/06/2020), com prazo de 5 dias para resposta.

Os dois processos administrativos citados pelo MP de Contas dizem respeito ao pregão presencial nº 001/2020, cujo objeto é a contratação de locação de equipamentos, e contrato emergencial de transporte escolar para atender as necessidades dos alunos da Escola Estadual Elza Soares.

O primeiro deles, trata-se de uma Ata de Registro de Preços, cujo processo iniciou em janeiro, celebrada no mês de fevereiro (ANTES DA PANDEMIA), e sendo utilizada apenas nos festejos do carnaval.

O contrato emergencial de transporte escolar foi celebrado em virtude da demanda do Governo do Estado de Alagoas que, no início do ano letivo, contemplou a Escola Estadual Elza Soares com ensino em tempo integral. Não havia tempo hábil para inserir a nova rota na licitação de transporte escolar, pois esta já havia ocorrido. Em virtude da paralisação das aulas, obviamente, o contrato emergencial não está sendo executado.

Os dois processos citados encontram-se disponíveis no portal da transparência do município e frise-se novamente, FORAM UTILIZADOS ANTES DA PANDEMIA em duas situações pontuais: carnaval e para atender demanda dos alunos da Escola Estadual Elza Soares, que em fevereiro iniciaram o ensino em tempo integral.

É lamentável que num momento de grande tensão como o que estamos vivendo, em meio a uma pandemia mundial nunca vista na história do país, haja tanto espaço para matérias jornalísticas de cunho tendencioso, sem conceder aos gestores a oportunidade de manifestação prévia.

Veja matéria completa aqui

Compartilhe:

Deixe uma resposta