Deputados aliados criticam Renan Filho por suspensão de programas de alimentos

Deputados aliados criticam Renan Filho por suspensão de programas de alimentos

Coube aos próprios deputados que integram a bancada palaciana na Assembleia Legislativa a dura cobrança para que o governador Renan Filho (MDB) dê a atenção merecida aos pequenos agricultores do interior de Alagoas. Durante a sessão plenária desta quarta-feira (15), os parlamentares da base criticaram a omissão do chefe do Executivo estadual na manutenção dos programas do Leite e de Aquisição de Alimentos (PAA).

Eles estavam discutindo a indicação do deputado Paulo Dantas (MDB) para apelar ao governador e à Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura (Seagri) que realizassem, com a maior brevidade possível, a ampliação das famílias atendidas, em percentual mínimo de 50%, pelo Programa do Leite, firmado entre o órgão estadual em parceria com o Governo Federal.

Dantas explicou que tem feito cobranças diretas a Renan Filho e ao secretário de Agricultura de Alagoas para fortalecimento e recuperação do referido benefício, que não faz repasse aos produtores desde janeiro último. As reclamações também partem, segundo o parlamentar, da bancada federal alagoana. Ele citou, inclusive, o trabalho incansável, em Brasília, feito pelo senador Fernando Collor (PROS) e pelo deputado Marx Beltrão (PSD), para tentar viabilizar a iniciativa em Alagoas.

“Sem o Programa do Leite, a cadeira produtiva no Sertão está fadada ao fracasso, já que 80% da produção é feita pelo pequeno agricultor, pela agricultura familiar. Faço, portanto, um apelo, para que o governo entenda que o programa é importante para a economia, faz com que as pessoas permaneçam no campo, tenham renda e gere empregos”, afirmou Paulo Dantas. Segundo ele, o pedido ao governador, nesta oportunidade, é para que o programa seja ampliado em mais 50%, no mínimo. 

Em aparte, a deputada Jó Pereira (MDB), também aliada do governador e integrante do Conselho do Fecoep em Alagoas [Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza], informou que o colegiado aprovou, em julho do ano passado, projeto da Seagri com vigência de um ano para ampliar a cobertura do Programa do Leite. No entanto, ela explica que, deste total, R$ 15 milhões eram do Governo Federal e o restante do Fecoep. 

“A Seagri precisa encaminhar para o Fecoep projeto alterando os valores de contribuição do fundo para o Programa do Leite. O conselho só aprova projetos encaminhados pelas secretarias do governo”, avalia. 

A deputada ainda apelou para que o PAA seja reestruturado no Estado e considerou o desabastecimento das feiras livres no interior durante a pandemia do coronavírus. Segundo ela, estes espaços deixaram de escoar a produção dos pequenos agricultores. “Há quatro anos estou cobrando do governo do Estado a execução do Programa de Aquisição de Alimentos como política pública, e não tenho qualquer resposta”, avalia.

Já o deputado Marcelo Beltrão, também do MDB, criticou a omissão da Seagri sobre as feiras livres e cobrou um planejamento da secretaria para atender e se aproximar ainda mais da agricultura familiar em Alagoas. 

Da oposição, falou o deputado Davi Maia (DEM). Em resumo, ele disse que o governador tem claros interesses em acabar com o Programa do Leite e massacra os produtores rurais do Estado. “Ele não tem coração e não posso cobrar sensibilidade dele. O que posso fazer é dizer que isto não se trata de ser sensível, mas de um programa de economia, que precisa ser resolvido”.

Veja matéria completa aqui

Compartilhe:

Deixe uma resposta