Comissão Parlamentar Interestadual apura golpe dos respiradores

Comissão Parlamentar Interestadual apura golpe dos respiradores

Com base na operação policial realizada na semana passada, que investiga suposta fraude na compra de respiradores pelo Consórcio Nordeste, o deputado Davi Maia (DEM/AL) destacou, na plenária desta terça-feira (9), a criação da Comissão Parlamentar Interestadual para apurar as denúncias e fiscalizar as ações do Consórcio.

Uma iniciativa inédita acontece no Nordeste em tempos de pandemia: 26 deputados de 10 partidos de nove estados criaram uma CPI (Comissão Parlamentar Interestadual) para apurar o destino de R$ 48 milhões pagos à empresa HempCare, pela compra de 300 respiradores vindos da China – que não chegaram.

Todos os estados da região foram vítimas do golpe, segundo a Polícia da Bahia, que foi acionada para investigar o caso.

Aliás, o governo da Bahia teve o maior prejuízo: R$ 9,6 milhões, que pagariam 60 respiradores (os outros estados ficariam com 30 cada um).

Em nota, os parlamentares do DEM, PSL, PTB, PSDB, MDB, PSC, PSB, PV, SD e Cidadania afirmam que o objetivo da CPI é “esclarecer a questão dos respiradores, como também buscar mais transparência na divulgação das ações do Consórcio Nordeste”.

Maia informou que ontem houve a primeira reunião da Comissão Parlamentar Interestadual (CPI) de acompanhamento e fiscalização do Consórcio Nordeste. “Pela primeira vez no Brasil, deputados de assembleias diferentes se reúnem para investigar alguma ação”, informou Maia, acrescentando que, além dele, os deputados Cabo Bebeto (PSL) e Bruno Toledo (PROS) compõem o grupo de parlamentares. “Foi uma reunião muito boa, onde discutimos estratégias que serão implementadas em conjunto com as nove assembleias”, disse o deputado, que em seguida leu a Carta de Intenções da CPI, que foi assinada por mais de 20 parlamentares da região. O deputado seguiu seu pronunciamento destacando que Alagoas, até o presente momento, já teve um prejuízo superior a R$ 10 milhões.

Governo

Em aparte, o líder do Governo na Casa, deputado Silvio Camelo (PV/AL), parabenizou a atuação das assembleias nordestinas na apuração das denúncias de fraudes na compra dos respiradores. Ele também frisou que o gestor do Consórcio Nordeste é o Governo da Bahia, e que Alagoas teve, assim como os demais Estados da região, que depositar o recurso para se habilitar à compra dos equipamentos hospitalares. “Se o gestor fez o pagamento indevido e comprou a quem não devia, não é o Estado de Alagoas que tem que ser responsabilizado. Queremos que isso seja apurado e que os recurso sejam devolvidos”, disse Camelo, observando que naquele momento o Governo de Alagoas não poderia ser omisso, porque também seria alvo de críticas, caso não se habilitasse.

Veja matéria completa aqui

Compartilhe:

Deixe uma resposta