Relator antecipa voto favorável a venda de bebida nos estádios de Alagoas

Relator antecipa voto favorável a venda de bebida nos estádios de Alagoas

Confira aqui a matéria

O relator do projeto de lei que defende a liberação do consumo de bebidas alcoólicas nos estádios de futebol, em Alagoas, deputado Davi Maia (DEM) pediu que os colegas parlamentares aprovem a matéria quando ela for apreciada no plenário da Assembleia Legislativa. Em seu pronunciamento, recheado de críticas à secretária de Esportes, Cláudia Petuba, ele aproveitou para defender o seu ponto de vista. 

As declarações sobre o texto do projeto de lei foram dadas durante a sessão ordinária desta terça-feira (7). 

“Aqui, no plenário da Assembleia Legislativa de Alagoas, gostaria de defender a aprovação do projeto de lei do qual sou relator, por entender que a liberação da comercialização das bebidas nas praças esportivas não é um problema para os estádios, em especial do Rei Pelé, que precisa de outros benefícios para atrair cada vez mais o torcedor”, defendeu Maia.

A proposta de liberação do consumo é de autoria do deputado Bruno Toledo (Pros).  Segundo o parlamentar, não há o que temer poque o que está sendo defendido é a venda de um produto lícito e que, inclusive, arrecada impostos para o Estado.

Em apoio ao projeto, a deputada Cibele Moura (PSDB), disse que não existem razões, no momento, para que continue sendo proibido o consumo de bebidas nas praças esportivas. Em sua avaliação, a principal discussão que envolve a violência não merece respaldo, já que o “governo mantém o trabalho de combate ao crime”.

“Chegou a hora de darmos uma resposta aos torcedores. É preciso liberar a bebida nos estádios, porque a violência já está sendo resolvida”, defendeu Cibele Moura (PSDB), destacando que isso não é uma questão para o Estado ter que resolver.

De acordo com o deputado Cabo Bebeto (PSL), o maior problema no Rei Pelé, por exemplo, não a bebida, mas, sim, a presença de usuários de drogas. Segundo o parlamentar, a “maconha está comendo no centro” e essa sim precisa ser reprimida. Entretanto, o mesmo deve ocorrer com quem sair do controle após consumir álcool.

“Se durante o jogo o torcedor tomar a sua cerveja e se exceder, a polícia estará lá e, diante disso, vai agir e  resolver. É até melhor porque o sujeito vai está dormente. Tem que liberar a cerveja porque quem bebe é o cidadão de bem”, disse Bebeto.

A única voz discordante foi a do deputado Ricardo Nezinho (MDB). Na avaliação do emedebista, o projeto de autoria de Bruno Toledo não é inclusivo. “É importante destacar que a questão de fundo dessa discussão é a receita para os times.. Entretanto, preciso dizer aqui que esse projeto não é inclusivo”, destacou Nezinho

O relatório será submetido, inicialmente, para apreciação na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Depois, segue para a Comissão de Defesa do Consumidor, que é presidida pelo deputado Bruno, autor da matéria. A depender da tramitação e da posição do presidente da ALE, deputado Marcelo Victor, os dois pareceres devem entrar na pauta de votação já na próxima semana.

Compartilhe:

Deixe uma resposta