Deputado quer abrir CPI do coronavírus em AL

Deputado quer abrir CPI do coronavírus em AL

Após apresentar documentos que comprovariam denúncias de nepotismo no Laboratório Central de Alagoas (Lacen), o deputado estadual Davi Maia (DEM) propõs a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Coronavírus em Alagoas. Durante a sessão plenária da Assembleia Legislativa desta quarta-feira, 3, o deputado afirmou que o caso é grave.

“Agora, definitivamente, posso dizer: todas as denúncias que eu trouxe a esta Casa são verdadeiras. Apresento a prova aos senhores. Nada mais nada menos do que uma confissão da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) e do próprio Lacen”, informou o parlamentar.

De acordo com o documento, que traz uma relação de cargos comissionados, efetivos e contratados (precarizados) apresentado pela gerência do Lacen e aponta filhos, noras, sobrinhos de funcionários do próprio Lacen, além de um parente direto de um dirigente da Sesau, prestam serviços ao órgão.

Na avaliação do parlamentar, a a relação apresentada pelo Lacen, comprovaria a falta de obediência às normas legais. O deputado encaminhou o documento ao Ministério Público Estadual, que abriu uma investigação para apurar a denúncia.

Durante seu discurso na Assembleia Legislativa, Maia disse que o caso é grave e as irregularidades precisam ser resolvidas com urgência pelo Governo. “Pedi diversas informações à Sesau com o intuito de que as irregularidades fossem resolvidas e, ao receber as respostas, vejo que elas confirmaram as denúncias por mim apresentadas”, destacou o deputado, acrescentando que, de acordo com os documentos, existem três famílias que ocupam cargos no Lacen.

“Das 13 denúncias de parentesco apontadas por este parlamentar, a Sesau confirmou, na íntegra, 11 delas. Enquanto duas continuam em investigação. Não faço denúncias sem provas” assegurou Maia.

CPI

Para Davi Maia, a comprovação do nepotismo pode configurar improbidade administrativa dos gestores, conforme estabelece a Constituição Estadual. Diante dos fatos narrados, Davi Maia pediu o apoio dos pares para que seja aberta uma CPI do Coronavírus.

“Nós já temos os fatos determinados do nepotismo, dos precarizados, equipamentos quebrados, da lista de prioridades e dos contratos com sigilos indevidos. O contrato da Bio Mega, empresa de São Paulo que iria fazer os testes rápidos, foi cancelado. Derrubaram o sigilo dele ontem a noite, quando fiz a solicitação”, afirmou.

Veja o documento

Nas redes sociais Davi Maia postou vídeo defendendo a CPI do coronavírus e publicou o documento enviado pelo Lacen. Para acessar acesse aqui o documento

Veja matéria completa aqui

Compartilhe:

Deixe uma resposta