Davi Maia lembra os 10 anos da enchente que atingiu os vales do Paraíba e Mundaú e cobra obras de prevenção

Davi Maia lembra os 10 anos da enchente que atingiu os vales do Paraíba e Mundaú e cobra obras de prevenção

Os dez anos das enchentes que atingiram as cidades nos vales dos rios Mundaú e Paraíba foram lembrados pelo deputado Davi Maia (DEM) durante a sessão ordinária desta quinta-feira (18). Na época, 19 cidades alagoanas foram atingidas e 15 decretaram estado de calamidade pública. A inundação deixou cerca de 30 mortos e aproximadamente 700 mil pessoas desabrigadas. “Um prejuízo bilionário ao Estado de Alagoas. Eu estava em Quebrangulo naquela fatídica noite do dia 18 de junho, e quando o sol clareou vi a cidade toda destruída. O que aconteceu em minha cidade se repetiu em 19 outras cidades alagoanas”, lembrou o parlamentar.

As enchentes atingiram as cidades de Atalaia, Branquinha, Cajueiro, Capela, Ibateguara, Jacuípe, Joaquim Gomes, Jundiá, Matriz de Camaragibe, Murici, Paulo Jacinto, Quebrangulo, Rio Largo, Santana do Mundaú, São José da Laje, São Luiz do Quitunde, Satuba, União dos Palmares e Viçosa. “A história mostra que a cada 10 anos isso se repete. Na segunda-feira, agora, a cidade de Quebrangulo e as demais dos vales dos rios Mundaú e Paraíba não dormiram. Todos esperavam uma nova catástrofe”, destacou Davi Maia, reclamando que mesmo diante da iminência de um novo desastre, nenhuma providência foi adotada para evitá-la. “São 10 anos: quatro do governo Téo Vilela e seis de Renan Filho. E nenhum dos dois governadores fez nada para evitar que novos cenários de desastres como esse aconteçam”, cobrou o deputado, observando que apenas o ex-governador Teotonio Vilela Filho chegou a realizar um projeto, com recursos federais, mas nunca teria sido posto em prática.

“Esta Casa nunca aprovou nenhuma concessão de empréstimo ou destinação de verbas para impedir que essas áreas sejam atingidas novamente por enchentes. Precisamos, urgentemente, construir barragens de amortização das enchentes dos rios Manguaba e Paraíba”, alertou Davi Maia, destacando que além de prevenir as enchentes, as barragens poderiam possibilitar o fomento de novas culturas agrícolas. “O governador Renan Calheiros (Filho), que é da cidade de Murici, conhece tão bem o impacto devastador de uma enchente, que causa tantos problemas a essas cidades, mas não temos nenhuma obra que reduza esse impacto”, apontou o deputado, dizendo que nesses últimos 10 anos não houve nenhum trabalho de desassoreamento da lagoa, de replantio da mata ciliar, nem da construção de barragens de amortização.

Em aparte, o deputado Galba Novaes (DEM) se associou ao pronunciamento do colega de plenário, ressaltando a importância do alerta, tendo em vista que, em audiência pública realizada na Casa para discutir a questão das barragens no Estado de Alagoas, especialistas no assunto trouxeram dados preocupantes. “Após a realização da audiência, enviamos ao Governo tudo aquilo que foi colocado em relação ao perigo dessas barragens, especialmente no momento em que estamos vivendo”, informou Novaes.

Fonte: Comunicação ALE

Compartilhe:

Deixe uma resposta