Liberdade de imprensa é feita de gestos

quinta-feira, 8 Agosto 2019 - 17:08
Liberdade de imprensa é feita de gestos

Artigo - Jornal das Alagoas | Confira aqui

Uma imprensa livre e forte é fundamental para a democracia. Na segunda (05), a ALE ficou lotada para homenagear a liberdade de expressão. Deputado Davi Davino entregou a comenda Audálio Dantas ao jornalista Ênio Lins, secretário de Comunicação de AL.

Audálio Dantas, que dá nome a homenagem, começou sua carreira como repórter em 1954 e passou por grandes veículos como Folha de São Paulo e a revista Realidade. Sempre se destacou pelas grandes reportagens, e por desbravar o Litoral e Sertão Nordestino. Denunciou barbáries durante o período da ditadura e teve um papel importante na Federação Nacional dos Jornalistas. 

1º nome a ganhar essa comenda não poderia ser outro: Ênio Lins. Mais de 30 anos de comunicação: jornalista, chargista, cartunista e tantas outras vertentes. É destaque, inclusive, pela sua participação ativa nos movimentos sociais.

Por isso, falo da liberdade de imprensa, que é feita de gestos. Felizes e importantes como os do deputado Davi Davino e dos jornalistas Audálio Dantas e Ênio Lins.

Mas, infelizmente, o dia não foi marcado apenas por gestos felizes. Um gesto infeliz foi emblemático. No dia em que o seu secretário de Comunicação receberia a homenagem, o governador Renan Filho protagonizou uma triste cena. Ele atacou o jornalista Arnaldo Ferreira após ser indagado sobre a falta de estrutura nas delegacias e acúmulo de inquéritos policiais. Arnaldo Ferreira tem 40 anos de jornalismo e é respeitado por seu trabalho. 

As falas de Renan Filho foram dirigidas ao jornalista e a sua história, não ao dono da empresa em que ele trabalha (Senador Collor, dono da Gazeta), como o governador quis fazer parecer.

A agressão praticada pelo governador Renan Filho reflete esses tempos de intolerância e truculência. 

O Brasil é o 2º país da America Latina com o maior número de jornalistas assassinados entre 2010 e 2017 (dados Repórteres Sem Fronteiras). 

Na Venezuela, jornalistas enfrentam prisão e detenção à medida que Nicolás Maduro intensifica sua repressão à liberdade de imprensa.

Não podemos aceitar qualquer tipo de censura ou desrespeito com a imprensa. Gestos infelizes precisam ser amplamente repudiados e coibidos.