Documentos oficiais comprovam nepotismo no Lacen/AL e deputado propõe CPI

quarta-feira, 3 Junho 2020 - 16:49
Documentos Lacen

Denúncias foram feitas ainda em abril pelo deputado Davi Maia

A Secretaria de Saúde Alagoas (Sesau) confirmou os casos de nepotismo no Laboratório Central do Estado (Lacen/AL). A confirmação se deu nos documentos oficiais enviados ao gabinete do deputado estadual Davi Maia (DEM), depois de este ter solicitado informações aos órgãos. O parlamentar apresentou os documentos durante sessão plenária desta quarta-feira (03).

Ainda em abril deste ano, Maia apresentou uma série de denúncias sobre ingerência no Lacen. "Pedi diversas informações à Sesau com o intuito de que as irregularidades fossem resolvidas e, ao receber as respostas, vejo que elas confirmaram as denúncias por mim apresentadas", destacou o deputado, acrescentando que, de acordo com os documentos, existem três famílias que ocupam cargos no Lacen. "Das 13 denúncias de parentesco apontadas por este parlamentar, a Sesau confirmou, na íntegra, 11 delas. Enquanto duas continuam em investigação. Não faço denúncias sem provas", assegurou Maia, apelando às Comissões de Direitos Humanos, da Mulher, e a de Saúde que concluam as análises.

Além do nepotismo, o parlamentar denunciou também a falta de estrutura com equipamentos quebrados no Lacen e a lista de prioridades do órgão.

Diante dos fatos, Maia pediu apoio para a criação de um Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Coronavírus. “Já temos os fatos e precisamos deixar tudo claro. E, agora, temos uma questão mais grave: a compra dos respiradores pelo Consórcio Nordeste que, para aderir, Alagoas teve de pagar R$ 836 mil", contou.

O material foi encaminhado ao Ministério Público Estadual, que abriu uma investigação para apurar a denúncia.

Confira aqui os documentos.