Artigo - O meio ambiente precisa de ações

quinta-feira, 22 Agosto 2019 - 10:55
Artigo foi publicado no Jornal das Alagoas

Há muito planejo esse texto. Dando tempo para falar sobre fatos. Acho que esse tempo chegou. A política ambiental do governo está clara. Conseguimos piorar o que já era ruim. O presidente não precisou fazer nenhuma lei ou decreto sobre o tema, só foi necessário que ele e o ministro Ricardo Salles expressassem pensamentos para que o boom acontecesse. Saímos de um discurso ideológico para outro sem escalas.

Madeireiros, mineradores e todos os ilegais se aproveitam do momento. Foi dado salve e está tudo liberado. A comunicação governamental passou uma mensagem errada, não acredito que essa era a intenção. Aconteceu e temos que estancar os problemas. Não é coincidência o aumento do desmatamento ou das queimadas. Agora, não adianta brigar com dados técnicos, precisamos de ações.

O Brasil já tinha, mais ou menos, resolvido a questão amazônica, mesmo com erros. Estávamos ganhando a guerra e nos voltando para o maior problema: as grandes cidades, que são responsáveis por 75% do CO2 produzido. Lixões, geração de resíduos, falta de tratamento de esgoto, mobilidade urbana etc. Agora, temos que dar dois passos pra trás. 

É uma questão de mercado. O agronegócio já aprendeu a fazer a sua produção sustentável, a produzir mais com menos território, já aprendeu a ser verde. Muito graças à EMBRAPA, com sua tecnologia nacional. O que irá sobrar? Você acha que um cidadão europeu vai querer consumir carne brasileira achando que com isso estará ajudando a “desmatar a Amazônia”? Lógico que não. 

Estamos perdendo mercado por conta da guerra da comunicação. Nossos concorrentes estão disseminando essa propaganda pelo mundo, com ajuda das falas presidenciais. Temos que virar o jogo, sermos inteligentes e vender um Brasil Verde, que é o que o mundo quer comprar.

A mudança ideológica foi sem escalas, antigamente demarcação de terra indígena era graça. O PT expulsava produtores rurais e criava novas nações, como foi o escândalo de Raposa Terra do Sol. Chegamos a ter 11% do território nacional de áreas indígenas para uma população de menos de 1% dos brasileiros. Mas ela tem a sua finalidade clara, proteção ambiental e cultural. 

Agora, demos um loop louco. Estamos querendo que os índios produzam grãos e façam mineração. Mas os índios não estão ali para serem “donos”, estão como guardiões. Se for para passar a posse definitiva que se mude a lei. Outros questionamentos surgem, como por exemplo: como será a divisão do território na aldeia?  Qual parte da terra fica para cada índio? Eles são uma cooperativa ou produtores individuais? Qual lei ambiental eles obedecerão? Aquelas que todos os produtores obedecem? São questionamentos como esses que mostram que não adianta só trocar a chave ideológica, é preciso planejar e estudar. Não há resposta simples para situações complexas.