Artigo Jornal das Alagoas - Saneamento básico de Maceió

quinta-feira, 3 Outubro 2019 - 10:04

Na última semana, fiz uma denuncia que foi veiculada pela imprensa. Denunciei na hora que fiscais da Prefeitura de Maceió foram para uma ação na rede coletora de esgoto da parte baixa. Minha equipe viu a ação e foi até o local para gravar o momento em que os servidores da Secretaria realizaram um teste com corante vermelho na rede de esgoto; o que comprovou que essa rede estava ligada à rede de drenagem de água pluvial. O mar sangrou e ficou vermelho com o corante.

Como presidente da Comissão de Meio Ambiente da ALE, como cidadão e como deputado fiz essa denúncia. Não é a 1ª vez que eu digo: Casal é uma das maiores poluidoras da orla. Isso gerou um necessário inquietamento da Companhia, que prontamente se juntou a Seinfra e abriram o sistema. Quiseram condizer que tudo aconteceu porque o sistema de drenagem de água pluvial da Prefeitura cedeu. Esse laudo está sendo questionado pela própria Prefeitura, que informou que a denúncia está sendo encaminhada ao MP Estadual e Federal. 

Vamos ao que interessa: você não está preocupado se a culpa é Casal ou Prefeitura. Você está preocupado com o esgoto chegando às praias e com a falta de tratamento de esgoto. Irei continuar denunciando e informando que Maceió não tem uma rede coletora de esgoto suficiente para dar tratamento ao resíduo produzido. Os laudos e números da Casal não são verdadeiros. 

O Plano Municipal de Saneamento básico, aprovado pela Câmara, em 2018, já deixou isso claro. Estamos vivendo uma crise geral de saneamento básico, seja no abastecimento de água, na rede de tratamento e coleta de esgoto ou na rede de drenagem de água pluvial. Só temos uma solução a curto-prazo para tentar universalizar o saneamento na cidade: a iniciativa privada. Precisamos acabar com o preconceito que ronda, principalmente incentivado pelos sindicatos. 

O secretário Maurício Quintella (Seinfra) esteve na ALE e disse que para privatizar a Casal na região metropolitana só esperava a aprovação de uma nova lei. Fui autor dessa lei que foi aprovada na quarta (1). Agora está na mão do governador. Pelo menos, na região metropolitana. 

Para que tenhamos praias limpas e para que não matemos a última galinha de ovos de ouro que temos: o turismo. Sem falar na saúde pública de todos os alagoanos.