Artigo Jornal das Alagoas - Novos ares 

quinta-feira, 5 Setembro 2019 - 09:20

Alagoas está passando por novos ares, estamos chegando em um momento que precisamos rediscutir o tamanho e o peso do estado alagoano. Esse governo, como todos sabem, sempre fui muito voltado à esquerda, apelando ao populismo e às mídias sociais.

Nosso trabalho na Assembleia Legislativa (ALE) tem sido de mostrar cada vez mais o outro lado, comprovar que o governador pode abrir mão de uma parcela de poder para ganhar mais eficiência, principalmente no serviço público. E dentro do próprio governo, temos encontrado alguns ecos neste sentido. 

Posso destacar a atuação do atual Secretário de Planejamento, Fabrício Marques, e o Secretário da Fazenda, George Santoro, ambos apostam muito na modernização da máquina estatal alagoana. Por ter uma atuação muito voltada à essa área, a ALE me indicou membro do Conselho Gestor de Parceria Público-Privada (PPP). 

Desde a semana passada, já estamos discutindo e analisando a carta de projetos do governo e várias outras questões relacionadas a privatização. A Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal), com um déficit quase bilionário, é uma das empresas que devem ser privatizadas porque é visível o problema de saneamento de Alagoas. 

Mas também temos outros problemas. Por exemplo, o matadouro de Viçosa que deveria ter sido entregue há três anos, segue sem prazo definido para a entrega e precisa urgente de dinheiro privado para a construção da câmara fria e da estação de tratamento. 

Além dele, o Centro de Convenções e Gráfica Oficial são outros dois exemplos de empresas estatais que não têm mais motivo continuarem de posse do governo, podem, merecem e precisam urgentemente serem geridas pela iniciativa privada.